Experiência Munduruku – Ativismo com Realidade Virtual

No dia 06 de Junho participei de uma experiência multi sensorial promovida pelo Greenpeace no Centro Cultural dos Correios em São Paulo.
Foi uma experiência realmente incrível e que me impressionou. O ONG internacional utilizou uma tecnologia muito avançada e fez um processo de pesquisa intenso para trazer a sensação de se estar na Floresta Amazônica junto a comunidade indígena Munduruku. E de fato, a gente consegue vivenciar uma imersão nesse ambiente tão distante,  mesmo que por poucos minutos. E o mais importante, é possível compreender melhor porque a demarcação é um processo necessário para a preservação e sobrevivência dos povos indígenas.  Atualmente, há a possibilidade de construção de dezenas de usinas e barragens nos rios do Pará e da Amazônia, sem falar no desmatamento voraz que ocorre para a implantação de agronegócios.
A tecnologia 3D ou realidade virtual é muito conhecida pelo seu uso no entretenimento (como em jogos de videogame) mas ainda é pouco utilizada para ativismo ambiental ou social. No contexto proposto pelo Greenpeace, usar uma ferramenta que nos aproxima de um ambiente tão distante  dos grandes centros se mostrou uma ação de mobilização altamente inovadora. Se pensarmos que a maior parte das pessoas que tem recursos para apoiar uma causa, articular manifestações e outras ações políticas estão fora da floresta, faz total sentido a utilização desse tipo de recurso tecnológico e pode provocar uma sensibilidade muito maior do que outras formas de campanha.
Tenho a percepção de que o distanciamento de alguma realidade dolorosa ou de alguma situação problemática, por mais que haja em nós uma boa vontade em mudar essa situação, provoca também um distanciamento no apoio e envolvimento nessas questões. Agora, com uma experiência em realidade virtual e que promove um evento que mescla arte, experiência sensorial e ativismo se tem um cenário positivo para a atenção sobre a causa e facilita o entendimento do problema. A tecnologia nos aproxima de um ambiente distante geográfico e fisicamente. Além disso, não preciso ir até lá, causando outros impactos, para que eu esteja frente a frente com aquela comunidade.
Convido quem ainda não participou de uma experiência como essa a faze-la nos próximos dias, a experiência fica disponível até o dia 26 de Junho e precisa de reserva pelo link: https://www.sympla.com.br/greenpeacebrasil
Gente, foi um trabalho de pesquisa e produção de 2 anos. Então.. se esforcem.. se não puder ir, avisa as pessoas amigas!
Parabenizo todos os envolvidos e principalmente quem está a frente da produção aqui no Brasil, que é a Tica Minami e complemento meus agradecimentos ao Renato Guimarães por ter divulgado esse incrível evento e desejo sempre bons retornos nesse processo de mobilização a toda equipe do Greenpeace.
As organizações envolvidas na realização dessa experiência são a Alchemy VR  e a  The Feelies .. a elas também vai meu agradecimento, como também a todos que estão no crédito e aos apoiadores da ONG que ajudam com seus recursos a promover ações de impacto tão importantes!
Desejo que esse tipo de atividade possa continuar nos aproximando uns dos outros.
#DemarcacaoJa
Mais informações:
Outras informações sobre a proteção da Amazônia e atuação do Greenpeace na região: http://www.greenpeace.org/brasil/pt/O-que-fazemos/Amazonia/