Centro da Rede

Eu sou o centro da rede.

Tudo começa em mim. Tudo que existe é a partir do meu centro.

Você é minha projeção, somos todos um.

“Se agora me abro a você, você se abre a mim.

Se agora te violento, você me violenta.

Se agora não confio em você , você desconfia de mim.”

O fluxo é para tudo. A informação parte, flui, retorna e o caminho é indefinido. É sistêmico.

Alimentar o medo, a dor ou alegria? O que propagamos na rede?

Para estabelecer conexões significativas é preciso ter atenção [presença, foco] no que estamos intencionando. Isole o que nós causa dor. Realimente o que nós provoca amor.

Deixe um comentário